terça-feira

nudez da verdade

“eu bem sei”

o desespero não tem asas
o amor também não,
nada de rosto,
não falam,
eu não me mexo
não olho pra eles
não lhes dirijo a palavra
mas estou tão vivo quanto o meu amor e o meu despero

é um poema de paul éluard, olha aí o original:

nudité de la vérité

“je le sais bien.”

le désespoir n’a pas d’ailes,/ l’amour non plus,/ pas de visage,/ ne parlent pas,/ je ne bouge pas,/ je ne les regarde pas,/ je ne leur parle pas/ mais je suis bien aussi vivant que mon amour et que mon désespoir.


man ray

3 comentários:

Daniel Antônio disse...

bonito demais!
abração

marcelo sahea disse...

Passei pra um café. Abração!

Rafaela disse...

oi...
bom, encontrei seu blog bem ao acaso, e to encantada com alguns textos que andei lendo.
vi tb que falou sobre camille...
ah, as musicas, o jeito dela cantar, atuar tb... é tudo mt lindo...


parabens! gostei mt daqui

bjos proce =*